3ª edição | “As Árvores Desconhecidas” |  Dez rotas para deslindar o lado escondido das árvores do nosso quotidiano.

Estão lá, à vista de todos. Escondidas de ninguém, mas transparentes para o mundo. Algumas, apesar do esplendor próprio, tornaram-se prosaicas, quase vulgares à custa da habituação. A surpresa porém, reside no que a vista não alcança. São histórias de viajantes, vidas de imigrantes, contos de anciões, percebidas apenas através do conhecimento.

Durante os próximos dez meses, venha ver o que os olhos não veem com a Rota das Árvores do Porto.

A III edição da Rota das Árvores do Porto vai dar a conhecer alguns dos tesouros do património natural da cidade. Ao longo de 10 meses serão 10 passeios, acompanhados pelo Arquiteto Paisagista João Almeida, para descobrir, explorar e deixar-se maravilhar com as árvores e os espaços históricos onde vivem e como estas influenciam a paisagem do Porto.

De outubro de 2021 a julho de 2022.

16 de outubro | Jardins do Palácio de Cristal
13 de novembro | Parque das Virtudes
11 de dezembro | Parque da Pasteleira
22 de janeiro | Jardim S. Lázaro, Praça da Alegria e Cemitério Prado do Repouso
19 de fevereiro | Parque Ocidental da Cidade
19 de março | Parque do Covelo
23 de abril | Parque Oriental da Cidade e Viveiro Municipal
21 de maio | Museu da Cidade — Casa Marta Ortigão Sampaio, Praça Mouzinho de Albuquerque e Cemitério de Agramonte
18 de junho | Passeio Alegre
9 de julho | Parque de S. Roque

As visitas guiadas decorrem sempre ao sábado (das 14h30 às 17h00).
Programa sujeito a alterações.

  • As inscrições são gratuitas e obrigatórias, estando limitadas a 20 vagas e são realizadas unicamente através do formulário respetivo.
  • O período de inscrição inicia exatamente na data e hora definida (8 dias antes, às 21h00) para cada visita (ver no descritivo).
  • A inscrição é individual. Não serão aceites inscrições em grupo.
  • A confirmação da participação (ou não) será remetida por e-mail até 72 horas depois de submissão da sua inscrição.
  • As vagas serão preenchidas por ordem de inscrição.
  • Quando o número de inscritos ultrapassar as vagas disponíveis será criada uma lista de espera.
  • Após confirmação da inscrição, caso preveja que não possa comparecer, por favor informe com a brevidade possível de modo a ser ativada a lista de espera e permitir-se a participação de outros interessados.
  • Se as condições climatéricas não o permitirem a visita não será realizada. Os participantes serão avisados por e-mail e/ou SMS, no dia anterior à visita.
  • Os portadores do Cartão Porto terão acesso prioritário a 50% dos créditos de inscrição nas visitas.
  • O uso de máscara é obrigatório para maiores de 10 anos.
  • Se quiser ser informado(a) sempre que abrirmos as inscrições para cada nova visita da Rota das Árvores do Porto, deixe aqui o seu contacto.

As vagas já se encontram totalmente preenchidas para a visita de 11 de dezembro 2021, da Rota das Árvores do Porto III 2021/2022.

As inscrições abriram no dia 3 de dezembro, às 21h00.

A Rota das Árvores do Porto é uma iniciativa do Município do Porto integrada no FUTURO – projeto das 100.000 árvores na Área Metropolitana do Porto.
Em 2021 e 2022 realiza-se a 3ª edição desta iniciativa.

Se deseja visitar edições anteriores pode fazê-lo clicando nos anos: 2016 e 2017 

A Rota das Árvores do Porto enquadra-se no projeto Florestas Urbanas Nativas no Porto – FUN Porto – que tem como objetivo expandir a área verde nativa no Porto e promover a ligação dos munícipes a estes recursos vitais para a sustentabilidade da cidade. O projeto integra várias iniciativas complementares, nomeadamente o programa “Se tem um jardim, temos uma árvore para si”, a “Rede de Biospots do Porto”, o “Viveiro de Árvores e Arbustos Autóctones do FUTURO” e o “Porto Biolab”.

No âmbito do programa “Se tem um jardim, temos uma árvore para si”, que já cumpriu 4 edições, foram oferecidos aos munícipes 8.361 árvores e arbustos nativos para instalação nos jardins e quintais do Porto.

A “Rede de Biospots do Porto” é uma rede de áreas de floresta urbana na cidade do Porto criada para promover a biodiversidade, os serviços dos ecossistemas, a adaptação às alterações climáticas e a amenização paisagística. Será constituída por 14 áreas que se distribuem ao longo dos principais eixos de circulação viária (nós, taludes, áreas verdes laterais) totalizando uma área útil de 25 hectares brutos. Até ao momento foram intervencionados 6 nós da VCI, com a instalação de mais de 1900 árvores e arbustos nativos.

No “Viveiro de Árvores e Arbustos Autóctones do FUTURO” têm sido produzidas, e desde 2014, cerca de 20.000 plantas por ano de dezenas de espécies nativas. Estas árvores e arbustos são utilizados no programa “Se tem um jardim temos uma árvore para si” e “Rede de Biospots” e cedidos aos parceiros CRE.Porto para projetos de rearborização.

O “Porto Biolab” (Quinta de Salgueiros) será uma floresta urbana prestadora de serviços ecológicos que reúna o melhor do conhecimento e gere oportunidades para novas aprendizagens estabelecendo um espaço de diálogo e de confronto de saberes integrando várias equipas com distintas competências (biólogos, arquitetos, paisagistas, sociólogos, geógrafos, entre outros). Espera-se que seja uma área piloto na avaliação e otimização dos serviços dos ecossistemas, sejam eles ambientais, culturais, sociais ou económicos. A Quinta de Salgueiros tem cerca de 4 hectares e, apesar do seu potencial, atualmente é um foco de expansão de plantas invasoras, um desafio para a segurança, um espaço onde são ilegalmente depositados resíduos. O objetivo é requalificar a área para oferecer aos portuenses o maior valor ecológico possível. Está a ser neste momento elaborado um plano de intervenção.

No Município do Porto existem 228 árvores classificadas como de “Interesse Público”, distribuídas por três grandes tipologias de classificação (Árvore Isolada, Maciço e Alameda) e enquadrando palmeiras, araucárias, tulipeiros, metrosíderos, plátanos, entre outras. Saiba mais.

As “Árvores de Interesse Público” são exemplares arbóreos, individuais, em alamedas ou maciços que, pelas suas características peculiares (idade, porte, estrutura, raridade, história ou factos culturais) se distinguem dos demais, justificando um estatuto similar ao do património construído classificado.

Além de todo o seu valor ecológico, estético e do bem estar que proporciona, cada árvore (ou espaço verde) na cidade do Porto encerra uma riquíssima história.
Conhecer essa história também é uma parte importante deste que é o sentimento do Porto. Se deseja conhecer mais benefícios das árvores e florestas urbanas sugerimos a consulta aqui ou aqui.

“A mata do segredo”: Não é fácil tomar por certo, mas ainda assim não é propriamente um segredo. São 7 hectares de sobreiros, aveleiras, freixos e amieiros escondidos de tudo e à vista de todos. O segredo, talvez resida no facto de estarmos a falar do belíssimo Parque da Pasteleira.

Abertura das inscrições 3 de dezembro às 21h  | Convite

PARQUE DA PASTELEIRA | Sábado | 14h30–17h00

Numa roliça colina sobranceira à Ribeira da Granja, o Parque da Pasteleira, com pouco mais de década e meia de existência, engloba no seu âmago resquícios da vegetação natural desta zona da cidade, composta, maioritariamente por manchas de pinheiro-bravo e sobreiro que, pela jovialidade do parque, são ainda hoje as espécies com maior destaque. Encontram-se, no entanto, agora rodeadas por muitas dezenas de outras espécies, tanto autóctones como exóticas que vieram, de forma muito significativa, aumentar a biodiversidade botânica presente no parque, plena de curiosidades por descobrir. Saberá por acaso como identificar um sobreiro nunca descortiçado? E que árvore terá folhas a cheirar a amêndoa amarga? E as aveleiras? Serão todas iguais? E os amieiros e os freixos? O que será que os distingue? Ora é precisamente isso, e muito mais, que vamos revelar nesta visita.

“Exotismos de colecionador”: Troncos cobertos de picos, árvores vestidas de algodão, imperatrizes adornadas a ouro e leques no lugar de folhas. Tudo peças de uma rara e exótica coleção botânica que fez as delícias da refinada sociedade Portuense de 1800 e agora disponível para o comum dos mortais. Venha, vamos ao Jardim das Virtudes.

Abertura das inscrições 5 de novembro às 21h | Convite | Relato da visita

PARQUE DAS VIRTUDES  | Sábado | 14h30–17h00

Desenvolvendo-se sobre um distintivo conjunto de socalcos, nas margens de um vale encaixado por onde corriam, outrora, as águas do rio Frio, foi aqui, na antiga Quinta das Virtudes, que, ao longo de várias décadas do século XIX, se reuniu um dos mais surpreendentes conjuntos de plantas raras e exóticas que os portuenses, e até a realeza portuguesa, viriam a ter o prazer de alguma vez admirar: o Horto de José Marques Loureiro. Poucos são hoje os sobreviventes dessa opulência botânica, mas entre os que sobrevivem encontra-se uma “rainha”, ou melhor, uma “imperatriz”, oriunda das distantes terras do Oriente, que todos os anos, no outono, homenageia o sol com um renovado manto da cor do ouro. Não muito longe encontramos uma guerreira, que, com longos espinhos, defende ferozmente as suas vistosas flores e o fofo algodão para as nossas almofadas… Consegue adivinhar de que árvores estamos a falar?

“Regresse à Expo de 1865”: Mais de 150 anos depois, visite ou revisite os bosques e jardins desenhados para a exposição internacional que decorreu no Porto. Agora, sem filas!

Abertura das inscrições 8 de outubro às 21h  | Convite |