Colégio Nossa Senhora da Esperança adota o Viveiro do FUTURO

Colégio Nossa Senhora da Esperança adota o Viveiro do FUTURO

No âmbito da sua participação na Rede de Escolas do FUTURO, o Colégio Nossa Senhora da Esperança (Porto) adotou o Viveiro do FUTURO. Isso significa que participará nas diferentes atividades sazonais que levaremos a cabo no Viveiro ao longo do ano para produzir as plantas que repovoarão as florestas urbanas de toda a Área Metropolitana do Porto.

Assim, no passado 7 de fevereiro, os portões do Viveiro Municipal do Porto abriram-se para acolher os ‘trabalhadores’ mais jovens de sempre. 🙂

Dez alunos, com idades entre os 12 e os 13 anos, do Clube Eco-Escolas, acompanhados pelo Professor Herberto Lopes e a Professora Susana Pires, juntamente com a técnica de Educação Ambiental do Parque Infantil das Fontainhas, Maria João Bastos, tiveram a oportunidade de começar a sua tarde de trabalho com uma visita acompanhada aos canteiros do FUTURO, onde puderam ver as diferentes espécies produzidas em diferentes fases de crescimento. Os telemóveis estavam inquietos a tirar fotografias a todas as plantas e vasos. Ninguém queria perder pitada desta visita única, pois no fundo “somos uns sortudos por estarmos a visitar este viveiro que é muito grande e muito bonito”.

A grande tília junto à entrada do viveiro serviu de mote para perceberem que mesmo a maior árvore de todas já foi um dia uma pequena semente. Os sobreiros magníficos que puderam ver e fotografar “também já foram pequeninos e já couberam dentro de uma bolota!”.

Já na estufa, de mangas bem arregaçadas e de joelhos no chão, sem problemas em sujar a roupa, todos se dispuseram à volta dos tabuleiros onde iriam semear murta (Myrtus communis). “A semente é minúscula!”. Era pois, mas destreza não faltou para a colocar nos alvéolos.

No final da sementeira foi a vez de tapar as pequenas sementes com mais substrato, com ajuda de um crivo que garantiu que a quantidade de substrato que tapava a semente não era superior ao necessário. O trabalho foi bem repartido e todos puderam experimentar as diferentes etapas do trabalho. Antes de concluir as tarefas era necessário regar os tabuleiros e garantir que as sementes iam ter humidade suficiente para começaram a despertar. O regador, de latão, seguramente mais velho que os jovens semeadores, era pesado e manobrá-lo não foi fácil. Mas tal como se expôs no início dos trabalhos desse dia, a empreitada de produzir plantas não depende só da biologia, depende igualmente da matemática, da química… e até da educação física. Por isso, entre agachamentos e musculação a sementeira foi terminada de forma exemplar. Cerca de 2.400 sementes de murta foram colocadas na terra e espera-se que nos próximos meses venham a germinar plântulas saudáveis e fortes.

Na primavera esperamos este simpático e interessado grupo novamente no Viveiro do FUTURO. Aproveitamos ainda para partilhar a notícia publicada na página do Colégio Nossa Senhora da Esperança.

Parabéns e tod@s e até breve!

FOTOS | Créditos: ©2017CRE.Porto|ampereira

Rede de Escolas do FUTURO é uma iniciativa do FUTURO – projeto das 100.000 árvores na Área Metropolitana do Porto, um projeto desenvolvido pela Universidade Católica Portuguesa e Área Metropolitana do Porto no âmbito CRE.Porto – Centro Regional de Excelência em Educação para o Desenvolvimento Sustentável da Área Metropolitana do Porto. O objetivo do Programa de Mentores da Rede de Escolas do FUTURO é o de garantir apoio às Escolas através do estabelecimento de laços entre os docentes coordenadores e especialistas em diversas áreas de intervenção, que colaboram graciosamente. Conheça as entidades e pessoas envolvidas no projeto

2017-02-22T10:31:43+00:0020 Fevereiro, 2017|rede de escolas do futuro 2016/17|
A carregar entidades...