terça-feira, 16 de dezembro de 2014

Entidades publicas e privadas aprendem mais sobre plantas invasoras

 No dia 11 de dezembro realizou-se a ação de formação "Identificação e controlo eficiente de plantas invasoras” na Maia, no âmbito do FUTURO – projeto das 100.000 árvores na Área Metropolitana do Porto. A ação destinou-se prioritariamente a técnicos superiores do município da Maia e vizinhos e a técnicos de empresas prestadoras de serviços no concelho da Maia. Participaram 21 técnicos.

Durante cinco horas de formação, a Profª Hélia Marchante da Escola Superior Agrária de Coimbra e Centro de Ecologia Funcional (UC), apresentou as principais plantas invasoras que ocorrem na região, explicou como identificar cada espécie, abordou as etapas essenciais na gestão do controlo destas plantas e as metodologias de controlo mais adequadas. Durante a visita de campo os participantes puderam participar no descasque de uma mimosa (Acacia dealbata) e verificar o resultado de um descasque num exemplar de austrália (Acacia melanoxylon). A formação decorreu no Complexo Educacional e Ambiental da Quinta da Gruta e no Parque de Avioso. FOTOS

segunda-feira, 15 de dezembro de 2014

Uma plantação com um alto relevo!

No dia 13 de dezembro, o Monte das Pedras, na Serra de Santa Justa (Valongo) foi novamente palco de uma grande plantação de árvores e arbustos nativos, nomeadamente de medronheiro, sobreiro e carvalho-alvarinho. A previsão meteorológica ameaçava chuva forte mas os voluntários do FUTURO não têm medo de umas gotas! Vêm do Porto, Gaia, Trofa, Maia, Gondomar, Famalicão, Paredes, Lousada, Valongo… e no local e hora marcados lá estavam com enxadas, sachos, impermeáveis e galochas, sem medos! 

quinta-feira, 11 de dezembro de 2014

Detalhes da ação em Valongo

Data | 13 de dezembro 2014
Hora do encontro* | Manhã: 09h00 | Tarde: 13h30
Local do encontro | Centro de Interpretação Ambiental (CIA) | Rua de Santa Helena | Coordenadas geográficas: 41º11'06.42''N 8º29'49.20''O
Duração da ação | 09h00-16h30.
Localização | Monte das Pedras, Serra de Santa Justa
Descrição | Plantação de 1.000 árvores nativas: carvalhos, medronheiros e sobreiros.

Recomendações especiais para os voluntários | Calçado resistente e vestuário confortável e adaptado às condições meteorológicas; água e lanche; um par de luvas de jardinagem; sacho/enxada (se tiver).

[Quer participar? Inscreva-se aqui]

*Poderá inscrever-se no período do dia que mais lhe convenha.

Esta atividade desenvolvida no âmbito do FUTURO - projeto das 100.000 árvores na Área Metropolitana do Porto, é organizada pelo CRE.Porto e Câmara Municipal de Valongo. As árvores (todas nativas) são fornecidas pelo Projeto Floresta Comum. É cofinanciada pelo ON.2.

segunda-feira, 8 de dezembro de 2014

O FUTURO esteve no Agrupamento de Escolas Santa Bárbara, Gondomar

No dia 5 de dezembro o FUTURO – projeto das 100.000 árvores na Área Metropolitana do Porto, deslocou-se ao Agrupamento de Escolas Santa Bárbara, em Fânzeres, Gondomar, para mais uma sessão, com um grupo de 54 alunos de 5º, 6º, 7º, 8º e 9º anos de escolaridade com o seu professor. Uma grande parte dos alunos participantes pertencia a um clube de ciências, organizado e coordenado pelo próprio docente que acolheu o nosso projeto. A escola que nos recebeu possuía uma grande mancha florestal dentro das instalações e esta biodiversidade foi o mote para a sessão da tarde, no qual abordamos a importância das florestas urbanas. Durante a atividade prática os alunos aprenderam a identificar algumas espécies nativas, que, curiosamente existiam no espaço exterior da escola. No final da sessão ficou a vontade de utilizarem tudo o que aprenderam num projeto de inventariação das espécies de flora da sua escola. FOTOS

Esta ação desenvolvida no âmbito do FUTURO - projeto das 100.000 árvores na Área Metropolitana do Porto, foi promovida pelo CRE.Porto. É cofinanciada pelo ON.2.


* Para esta atividade do FUTURO - projeto das 100.000 árvores na Área Metropolitana do Porto temos a colaboração graciosa da Engª Rute Teixeira, a quem agradecemos!

O FUTURO esteve na EB 2,3 de Rio Tinto, Gondomar

No dia 5 de Dezembro o FUTURO - projeto das 100.000 árvores na Área Metropolitana do Porto esteve na Escola EB 2/3 de Rio Tinto (Gondomar). A sessão decorreu para  um grupo de 60  alunos de 5º e 6º anos com os docentes das respectivas turmas. Encontramos uma escola moderna com um auditório praticamente cheio. A plateia mostrou-se muito interessada e participativa, destacando-se alguns alunos que, pelo seu estudo e interesse, intervieram e colocaram questões muito pertinentes que ajudaram a tornar a sessão muito mais dinâmica e enriquecedora. Entre eles encontramos o Afonso, que durante toda a sessão foi acrescentando informação que tinha ele próprio pesquisado sobre a importância das florestas, tendo reforçado que “a floresta e as suas árvores ajudam a filtrar e absorver a água da chuva, prevenindo os desabamentos de terra e as inundações ao formar com as suas raízes uma rede protetora do solo”. FOTOS

Esta ação desenvolvida no âmbito do FUTURO - projeto das 100.000 árvores na Área Metropolitana do Porto, foi promovida pelo CRE.Porto. É cofinanciada pelo ON.2.



* Para esta atividade do FUTURO - projeto das 100.000 árvores na Área Metropolitana do Porto temos a colaboração graciosa da Engª Rute Teixeira, a quem agradecemos!

domingo, 7 de dezembro de 2014

Árvores com história: Pinheiro-manso [Pinus pinea]

Texto: Rubim Almeida* | Foto: Conceição Almeida
O pinheiro-manso (Pinus pinea) é uma daquelas árvores que raro será o português que não consegue identificar. Com uma copa inconfundível, mesmo não sendo uma espécie demasiado comum no Norte do país, quase todos a conhecem, quanto mais não seja pelas suas sementes – os pinhões – tão apreciadas.

Considerada como uma “arqueófita” – termo científico designando uma espécie que terá sido introduzida em tempos pré-históricos – a verdade é que sendo uma espécie característica da bacia do Mediterrâneo, extremamente comum no Sul de Espanha, não custa imaginar que a sua área de distribuição natural se estendesse (ao menos ao Sul) de Portugal, tal como parecem demonstrar alguns estudos. Autores há que apontam muitas das populações ibéricas como sendo as únicas naturais, já que não se encontram ao longo das rotas comerciais da antiguidade. 

sexta-feira, 5 de dezembro de 2014

CONVITE | Mais 1.000 árvores nativas para Valongo?

Plantação no dia 25 Out. 2014
 Assim queremos que seja! Num esforço de continuar reconverter o coberto vegetal da Serra de Santa Justa vamos plantar mais 1.000 carvalhos, sobreiros e medronheiros no Monte das Pedras, em plena Serra. Esta intervenção integra um plano que está em marcha para recuperar mais de 9 hectares de território até agora dominado por eucaliptos e acácias, com a plantação de cerca de 9.000 árvores e arbustos nativos e um controlo apertado das invasoras. Passo a passo lá chegaremos mas é certo que precisaremos de toda a ajuda possível. Por isso, neste dia a atividade de plantação decorre de manhã e de tarde e cada voluntário poderá inscrever-se no período do dia que mais lhe convenha. Nós estaremos por lá o dia todo!

Detalhes & inscrições. (após a sua inscrição enviaremos recomendações, coordenadas geográficas exatas e outras informações úteis para o seu e-mail)


Esta atividade desenvolvida no âmbito do FUTURO - projeto das 100.000 árvores na Área Metropolitana do Porto, é organizada pelo CRE.Porto e Câmara Municipal de Valongo. As árvores (todas nativas) são fornecidas pelo Projeto Floresta Comum. É cofinanciada pelo ON.2.

Sonae e LABORIAL plantam o futuro

No próximo dia 13 de dezembro vai decorrer uma ação de plantação no futuro Parque Urbano de Ponte de Moreira. A área tem vindo a ser progressivamente requalificada no sentido de se tornar numa nova área verde de uso coletivo, e agora aguarda por mais 100 espécies nativas que serão plantadas por 30 colaboradores da SONAE e 20 colaboradores da LABORIAL, que também se associa a esta ação. Além de plantar, os voluntários vão sinalizar as plantas com tutores e colocar protetores individuais.

Esta ação é desenvolvida no âmbito do FUTURO - projeto das 100.000 árvores na Área Metropolitana do Porto, é promovida pelo CRE.Porto em colaboração com a Câmara Municipal da Maia, colabora a Sonae em sede do Acordo de Parceria estabelecido no âmbito do FUTURO. Todo o material vegetal será proveniente do programa Floresta Comum e do Horto Municipal da Maia. É cofinanciada pelo ON.2”.

Rio Leça celebra a Floresta Autoctone

A Maia celebrou, no passado dia 22 de novembro, o Dia da Floresta Autóctone realizando mais uma oficina do FUTURO na Jardiland Maia. Artur Branco, técnico do Município da Maia, começou por dar a conhecer aos 46 participantes (incluindo os Escoteiros de Vila nova da Telha e à Associação Sukyo Mahinari) o rio Leça, as suas dinâmicas, as formas como se pode “olhar” um rio e as interações que existem ao longo do tempo entre as margens e o leito. Na primeira parte do encontro também foram apresentados algumas árvores e arbustos nativos, que ocorem nas zonas ripícolas. Estas plantas exercem um papel fundamental na promoção da biodiversidade de um rio, porque contribuem para o recarregamento de matéria orgânica (folhas) e ajudam a diminuir a temperatura da água (sombra) o que por sua vez promove maior diversidade de seres vivos e a qualidade da água.

Na segunda parte da oficina, os participantes tiveram a oportunidade de plantar 23 árvores e arbustos nativos. Foram plantadas as seguintes espécies: sanguinho-de-água (10), freixo (5), sabugueiro (6) e ulmeiro (2). Para concluir os trabalhos da manhã foi feita ainda a poda de formação das árvores plantadas e a manutenção nas existentes.

Obrigada pela preciosa colaboração de todos. FOTOS

Esta atividade desenvolvida no âmbito do FUTURO - projeto das 100.000 árvores na Área Metropolitana do Porto, foi promovida pelo CRE.Porto em colaboração com a Câmara Municipal da Maia e em parceira com a Jardiland Maia. Participou um grupo da AMO – Portugal. As árvores (todas nativas) são fornecidas pelo Projeto Floresta Comum. É cofinanciada pelo ON.2.

quinta-feira, 4 de dezembro de 2014

O FUTURO na Escola EB1 de S.Caetano nº2, Gondomar

Ainda no dia 3 de dezembro, o FUTURO – projeto das 100.000 árvores na Área Metropolitana do Porto, deslocou-se à Escola Básica S.Caetano, em Rio Tinto (Gondomar), para mais uma sessão, com um grupo de 40 alunos de 3º e 4º ano de escolaridade e as respetivas professoras. Com a sessão teórica e o jogo prático de identificação de espécies nativas, os alunos puderam enriquecer ainda mais tudo o que já sabiam sobre as árvores e as floretas. De uma forma muito participativa e entusiasmada, os alunos partilharam ainda os seus conhecimentos e experiências. A expressão “A floresta é uma amiga que nós devemos saber cuidar”, deixou toda a plateia com um sorriso, resumindo na perfeição, o objetivo das nossas visitas. FOTOS

Esta ação desenvolvida no âmbito do FUTURO - projeto das 100.000 árvores na Área Metropolitana do Porto, foi promovida pelo CRE.Porto. É cofinanciada pelo ON.2.



* Para esta atividade do FUTURO - projeto das 100.000 árvores na Área Metropolitana do Porto temos a colaboração graciosa da Engª Rute Teixeira, a quem agradecemos!