AMP | Rede de Escolas do FUTURO2016-11-25T15:50:54+00:00

A Rede de Escolas do FUTURO tem como objetivo apoiar as escolas que contribuam de uma forma clara para os objetivos do FUTURO: criar, manter e promover as florestas urbanas nativas da região. O FUTURO oferece formação, informação, recursos (sementes e árvores) e valorização do trabalho das escolas. Nas 48 escolas admitidas na Rede em 2015/16 participam pelo menos 1500 alunos e 68 professores. As escolas inscreveram-se numa de quatro modalidades possíveis. Saiba mais sobre esta iniciativa.

Modalidade 1. Adoção de uma área do FUTURO

A escola escolhe uma área de intervenção do FUTURO na sua proximidade para acompanhar ao longo de tempo (duas atividades durante o ano letivo) de modo a ser apreciados o desenvolvimento da floresta e os ciclos da natureza. A equipa do FUTURO e do Município acompanha as atividades no terreno.

Participam nesta modalidade as seguintes escolas:

  • EB Moldes | Arouca | Coordenação: Profª Angelina Maia | 1 |
  • EB1 de Jancido | Gondomar | Coordenação: Profª Albertina Martins | 1 |
  • EB1 Monte Calvário | Maia | Coordenação: Profª Ana Reis e Ana Santos | 1 |
  • AE Santa Maria da Feira – ES | Santa Maria da Feira | Coordenação: Profª Fernandina Pereira
  • AE D. Dinis | Santo Tirso | Coordenação: Profª Cláudia  Teixeira | 1 | 2 |
  • EB da Estação | Trofa | Coordenação: Profª Carolina  da Silva | 1 |
  • EB1 de Areias | Vale de Cambra | Coordenação: Profª Lealdina Brandão
  • AE de Valongo | Valongo | Coordenação: Profª Maria Henriques e Isabel Pimenta
  • EB de Fijós | Valongo | Coordenação: Profª Clemência Ferreira

As escolas desta Modalidade comprometem-se a:

  • Participar, no mínimo em duas ações ao longo do ano letivo: uma ação de plantação (entre novembro 2015 e abril 2016) e uma ação de manutenção (entre abril 2016 e maio 2016).
  • Partilhar e comunicar regularmente connosco o que está a acontecer ao longo do desenvolvimento do seu projeto: fotografias, textos, desenhos, esquemas, resultados, outros.

Alguns documentos de apoio:

Modalidade 2. Criação de um viveiro de plantas nativas

A escola estabelece um viveiro com o objetivo criar uma bolsa de plantas nativas de qualidade a usar nas ações de plantação do FUTURO na região e oferecer aos alunos a oportunidade de conhecer essas plantas. A equipa do FUTURO oferece as sementes certificadas e o substrato florestal e a escola deve preparar os contentores e fazer a sementeira. Cada escola tem como meta produzir 450 árvores e arbustos nativos: 100 carvalhos-alvarinho (Quercus robur), 120 sobreiros (Quercus suber) e 230 medronheiros (Arbutus unedo). A sementeira será realizada em janeiro de 2016 e as plantas produzidas serão recolhidas nas escolas até final do mês de junho de 2016.

Participam nesta modalidade as seguintes escolas:

As escolas desta Modalidade comprometem-se a:

  • Reunir as condições (espaço e 550 contentores para a sementeira) até 4 de janeiro 2016;
  • Recolher as sementes atribuídas entre os dias 12 e 13 de janeiro 2016, na Lipor (Baguim do Monte);
  • Registar a evolução da sementeira e acompanhar o seu desenvolvimento;
  • Partilhar e comunicar regularmente connosco o que está a acontecer ao longo do seu projeto: fotografias, textos, desenhos, esquemas, resultados, outros.

Alguns documentos de apoio:

Modalidade 3. Valorização do espaço verde escolar

A escola inventaria e estuda as árvores e arbustos existentes no seu espaço escolar e planeia intervenções de melhoria. As crianças ou jovens contribuem para a criação e manutenção das áreas verdes escolares. Propõe-se que a escola crie ou mantenha as suas próprias áreas de jardim e/ou floresta. Recomendado para escolas que querem participar no FUTURO através da criação e/ou valorização dos seus espaços através de um plano predefinido. O FUTURO fornece árvores, informação e formação, acompanhamento técnico (não presencial), divulgação.

Participam nesta modalidade as seguintes escolas:

  • Escola Artística Soares dos Reis | Porto | Coordenação: Profª Rita Carvalhas
  • EB do Burgo | Arouca | Coordenação: Profª Maria de Fátima Fonseca
  • EB 2/3 de Rio Tinto | Gondomar | Coordenação: Profª Maria José Monteiro, Marli Leite e Conceição Pires
  • EB1 da Bajouca | Maia | Coordenação: Profª Célia Meirinhos e Sandra Soares
  • EB Padre Manuel Castro | Matosinhos | Coordenação: Profª Olívia Cabral
  • ES da Boa Nova | Matosinhos | Coordenação: Profª Sara Fernandes
  • AE de Vilela | Paredes | Coordenação: Prof. Rui Magalhães
  • AE Fontes Pereira de Melo | Porto | Coordenação: Profª Cláudia Moreira
  • EB Dr. Flávio Gonçalves | Póvoa de Varzim | Coordenação: Profª Luisa Garcia e Paula Quintas
  • EB de Aver-o-mar | Póvoa de Varzim | Coordenação: Profª Laurinda Cabeças
  • EB/S Dr. Serafim Leite | S.João da Madeira | Coordenação: Profª Cristina Tavares e Rosa Pinho
  • AE Fernando Pessoa | Santa Maria da Feira | Coordenação: Prof. Ana Ferreira e Fernando Ferreira
  • AE Coelho e Castro |Santa Maria da Feira | Coordenação: Profª Amélia Ribeiro e Luis Gomes
  • EB de Vila das Aves | Santo Tirso | Coordenação: Prof. Manuel Moreira, Maria Leão e Aurélia Pereira
  • EB/S do Coronado e Castro | Trofa | Coordenação: Prof. Eleutério da Silva
  • EB da Azenha | Valongo | Coordenação: Profª Fernanda Gonçalves
  • EB das Saibreiras Valongo | Coordenação: Profª Margarida Garcia  | 1 |
  • EB do Outeiro | Valongo | Coordenação: Profª Maria Paupério
  • AE D. Afonso Sanches | Vila do Conde | Coordenação: Prof. Rui Manuel Rei
  • EB2/3 Sophia de Mello Breyner | Vila Nova de Gaia | Coordenação: Profª Ana Almeida
  • EB da Ilha | Valongo | Coordenação: Prof. José Neves
  • EB D.Pedro I | Vila Nova de Gaia | Coordenação: Profª Maria Tudela

As escolas desta modalidade comprometem-se a:

  • Enviar a descrição do projeto para o seu espaço escolar, juntamente com a lista de espécies nativas que eventualmente gostariam de plantar na sua escola, até 30 de novembro 2015;
  • Recolher as árvores atribuídas entre os dias 12 e 13 de janeiro 2016, na Lipor (Baguim do Monte);
  • Partilhar e comunicar regularmente connosco o que está a acontecer ao longo do desenvolvimento do seu projeto: fotografias, textos, desenhos, esquemas, resultados, outros.

Alguns documentos de apoio:

 

Modalidade 4. Promover o património arbóreo local

A escola conhece as árvores no seu entorno mais próximo. Inventaria as árvores e arbustos da sua localidade e pode elaborar atividades que promovam a conservação e a divulgação de um espaço verde ou conjunto de árvores e pesquisa sobre os benefícios ambientais e sociais que estas proporcionam. Recomendado para escolas que querem ter uma atuação na sua área. O FUTURO fornece informação e formação, acompanhamento técnico (não presencial), divulgação.

Participam nesta modalidades as seguintes escolas:

  • EB/S de Escariz | Arouca | Coordenação: Profª Helena Ferreira
  • ES de Arouca | Arouca | Coordenação: Profª Almerinda Fernandes
  • AE de Santa Bárbara | Gondomar | Coordenação: Prof. Paulo Direito
  • AE de Rio Tinto nº3 | Gondomar | Coordenação: Prof. José de Sousa
  • AE Fontes Pereira de Melo | Porto | Coordenação: Profª Paula Campos e Cláudia Moreira
  • ES João da Silva Correia | S.João da Madeira | Coordenação: Margarida Alpoim, Ana Leite e Ana Eusébio
  • AE Coelho e Castro | Santa Maria da Feira | Coordenação: Profª Helga Feixeira |1|
  • EB1 da Praça | Vale de Cambra | Vale de Cambra | Coordenação: Profª Sandra Ferreira

As escolas desta modalidade comprometem-se a:

  • Enviar o plano do trabalho que vão desenvolver com os alunos, referindo o local que irão estudar, bem como, quais os objetivos e de que forma o irão promover junto da comunidade, até dia 20 de dezembro 2015
  • Partilhar e comunicar regularmente connosco o que está a acontecer ao longo do desenvolvimento do seu projeto: fotografias, textos, desenhos, esquemas, resultados, outros.

Alguns documentos de apoio:

 

Parceiros

A Rede de Escolas do FUTURO é uma iniciativa do CRE.Porto no âmbito do FUTURO – projeto das 100.000 árvores na Área Metropolitana do Porto.

É promovida pela Área Metropolitana do Porto e Universidade Católica Portuguesa, sendo apoiada pela Lipor – Serviço Intermunicipalizado de Tratamento de Resíduos do Grande Porto, EDP Gás e SIRO.

Colabora o Instituto de Conservação da Natureza e das Florestas e os Municípios de Arouca, Espinho, Gondomar, Maia, Matosinhos, Oliveira de Azeméis, Paredes, Porto, Póvoa de Varzim, S. João da Madeira, Santa Maria da Feira, Santo Tirso, Trofa, Vale de Cambra, Valongo, Vila do Conde, Vila Nova de Gaia.

A Rede de Escolas do FUTURO articula-se com a iniciativa Jardim ao Natural, promovida pela Lipor.

Porquê

Em 2014/2015 foi desenvolvida a iniciativa “O FUTURO vai às Escolas”. O objetivo foi consciencializar a comunidade escolar para a importância das florestas urbanas nativas no nosso bem-estar e formas de colaborar na sua criação e manutenção. Estivemos em 52 escolas de 11 municípios, com o envolvimento de 130 professores e a participação de 2.439 alunos. Em 2013/14 e 2014/15 foi ainda desenvolvida uma experiência piloto nas escolas de S. João da Madeira. Este projeto – “Da semente à Árvore” – estabeleceu pequenos viveiros escolares e plantação de árvores pelas famílias. Participaram 3 escolas, 224 alunos e 10 professores.

As escolas da região mostraram-nos que estão preparadas para ter um papel mais ativo. Por isso, este ano as Escolas vêm até ao FUTURO.

Mas porque é importante plantar árvores nativas?

As árvores nativas, isto é, que são espontâneas nesta área, estão bem adaptadas às condições regionais. São importantes para a biodiversidade, diversificam a paisagem e a sua capacidade de sequestro de carbono é considerável.

Vai colaborar com o FUTURO plantando árvores na sua escola? Saiba como plantar bem.

PARTICIPE
As nossas árvores
Plantações
A carregar entidades...